Pular para o conteúdo

Rússia

18/05/2013

Se tem um país pelo qual tenho uma simpatia gratuita, esse lugar é a Rússia. Nunca fui pra lá, não sou adepto do comunismo e nem falo russo, mas gosto da Rússia não sei por quê. Acho que tem um pouco a ver com a maluquice dos habitantes de lá, mas não sei.

O fato é que sempre quis ter uma camisa da seleção russa, ainda mais se tivesse escrito Россия (Rússia, em alfabeto cirílico). Achei que a hora era ideal quando a Adidas lançou as duas belas camisas com detalhes em vinho e dourado que vestiram o time eslavo em 2009/10.

Curiosamente, essa camisa sempre me deu sorte. Na única vez em que usei ela para jogar futebol, fiz um gol tipo aquele do Dinei, ex-Palmeiras, em um jogo contra o Fluminense, no Brasileirão de 2010. Também foi usando ela que encontrei e tirei uma foto com a belíssima Maria Sharapova, nobre espécime do povo russo, durante o Federer Tour, em São Paulo.

Depois de tanta encheção de linguiça, que tal dar aquela olhada na camisa da Rússia?

legenda

Quando fez sua estreia no futebol, a Rússia ainda era o Império Russo. Foi em 1912, em uma derrota por 2 a 1 para a Finlândia

Camisa comprada em promoção no site Só Futebol Brasil. Site ótimo, sempre acerta o pedido e nunca atrasa a entrega, diferente da Netshoes.

legenda

Quando era União Soviética, a seleção sempre ia bem em Copas do Mundo, tendo ficado até em quarto lugar em 1966, na Inglaterra. Desde que voltou a competir como Rússia, em 1992, no entanto, caiu na fase de grupos em 1994 e 2002, além de ter ficado de fora de 1998, 2006 e 2010

legenda

A maior vitória da Rússia foi um 7 a 0 em San Marino, em 1995. Já a maior derrota foi um doloroso 16 a 0 para a Alemanha, nos Jogos Olímpicos de 1912, em Estocolmo (Suécia)

A maior glória da seleção russa é o título da primeira Eurocopa da história, em 1960. Naquele ano, a então União Soviética juntou-se a República Tcheca, Iugoslávia e à anfitriã França em um torneio que começou já nas semifinais. Primeiro, os soviéticos fizeram 3 a 0 nos tchecos, em Marselha, para depois conquistar o título com um 2 a 1, na prorrogação, sobre a Iugoslávia, em Paris (veja os lances aqui). Curiosamente, nenhum dos dois países existem mais.

E aí, gostou da camisa? Deixe seu comentário!

Libertad

18/04/2013

Pode ser ano par, ímpar, bissexto ou número primo. Se tem um time que certamente vai estar na Copa Libertadores, este é o Club Libertad, do Paraguai.

Conhecido como “time do Nicolás Leóz” (já que a múmia que preside a Conmebol torce para a equipe alvinegra), este simpático clube, de 107 anos de história, é uma das grandes potências de seu país nos dias de hoje.

Diferente dos rivais Olimpia e Cerro Porteño, que estão afundados em dívidas, o Libertad tem finanças saneadas, patrocínio forte e material Nike, que sempre dá um status. Não à toa, a equipe disputou neste ano sua 11ª Libertadores seguida!

Apesar disso, vive com o estádio Nicolás Leóz, em Assunção, às moscas, já que sua torcida não é, digamos, tão atuante.

Sem mais delongas, vamos à camisa do gumarelo, como o clube é conhecido:

sdasd

O estádio do Libertad foi reformado em 2005, quando o time completou seu centenário. Ficou arrumadinho! Comporta 12000 torcedores

Camisa comprada em Ciudad del Este, em uma loja da Nike. Procurei muito em Assunção, mas não achei em lugar nenhum. Os vendedores, inclusive, tinham desprezo pelo Libertad, e, quando eu perguntava se sabiam alguma loja que vendia, se faziam de desentendidos.

sfsdf

Das 11 participações seguidas na Libertadores, o time de Assunção viveu seu melhor ano em 2006, quando foi até a semifinal. Acabou eliminado pelo Inter, que foi campeão

dfsdf

Um dos maiores orgulhos da equipe é estar entre os 20 melhores times do mundo no ranking da IFFHS, muito graças a seu ótimo desempenho nos últimos Paraguaios

Dos 16 títulos paraguaios conquistados pelo Libertad, o último foi no Clausura de 2012, quando o time perdeu apenas um jogo, mas terminou somente três pontos à frente do Nacional.

No YouTube, um torcedor fanático compilou todos os gols da campanha rumo ao título (clique e veja). O mais interessante é ver alguns dos estádios em que os times jogam no Paraguai, em especial os do Tacuary, Guaraní, Rubio Ñu e Sportivo Luqueño.

E aí, gostou da camisa? Deixe seu comentário!

Argélia

29/01/2013

Quando chega a Copa do Mundo, faço questão de ver todos os jogos que conseguir. Já fui presenteado com grandes embates, como aquele Senegal 2 x 1 Suécia, nas oitavas de final do Mundial de 2002, às 3h30 da manhã. Mas também já peguei cada “pedreira”…

A pior delas, certamente, foi Argélia 0 x 1 Eslovênia, que acompanhei num domingo cedo na Copa do Mundo de 2010. Meu Deus, que jogo chato! Dois times horríveis, jogando na retranca, disparando chutões de um lado para o outro… Nem lembro se aguentei ver até o fim.

O fato é que a seleção da Argélia sempre acaba protagonizando jogos terríveis. No próprio Mundial da África do Sul, a equipe do norte da África ainda fez um 0 a 0 tenebroso com a Inglaterra, além de ter perdido por 1 a 0 para os Estados Unidos em outro duelo tétrico.

A camisa argelina, porém, até que é legal. Composta de uma “diferenciada” combinação de verde com listras vermelhas e brancas, parece um abadá de carnaval, mas que ganhou a minha simpatia.

E é com o uniforme das “Raposas” que ficamos neste post:

adsa

A Argélia tem a conquista da Copa Africana de Nações de 1990 como seu grande momento futebolístico

Camisa comprada em promoção no site Só Futebol Brasil. Site ótimo, sempre acerta o pedido e nunca atrasa a entrega, diferente da Netshoes.

legenda

A seleção manda seus jogos no estádio 5 de julho (também conhecido como El Djezair), na capital Argel, para até 76200 pessoas. A data faz referência à independência da França, em 1962

legenda

A maior goleada que a Argélia já meteu foi um 15 a 1 em cima do Yemen do Sul, em 17 de agosto de 1973. Faz tanto tempo que o país humilhado na ocasião já nem existe mais…

Como não poderia deixar de ser, a Argélia ganhou seu único título importante na história em um jogo chato, 1 a 0 amarrado contra a Nigéria, na final da Copa Africana de Nações de 1990. Se quiser ver alguns dos melhores momentos do jogo, é só clicar aqui. Mas já vou avisando que não são muitos!

E aí, gostou da camisa? Deixe seu comentário!

LDU de Loja

26/09/2012

Antes de ir jogar no Palmeiras e conquistar a torcida alviverde com seus gols, o argentino Hernán Barcos era o matador da LDU de Quito, do Equador. Na equipe da capital equatoriana, conquistou diversos títulos e artilharias. Mas quem acha que El Pirata era o único a marcar gols por lá engana-se redondamente. Um brasileiro dividia tento a tento a ponta da tabela de artilheiros com Barcos. Desconhecido em seu país natal, Fabio Renato cansou de marcar gols pela desconhecida Liga Deportiva Universitaria de Loja, cidade de aproximadamente 180 mil habitantes a 640km de Quito.

A equipe de apenas 32 anos, também conhecida como LDU, está fazendo neste ano sua estreia em competições internacionais. E logo de cara já está deixando boa impressão na Copa Sul-Americana 2012: eliminou Monagas, da Venezuela, e o tradicional Nacional, do Uruguai (em pleno estádio Centenário!), para enfrentar o São Paulo nas oitavas de final.

O brasileiro Fabio Renato, que no Brasil atuou por times como CFA, União Cacoalense, Vilhena, Genus e Jaruense, é uma das peças mais importantes das últimas boas temporadas da LDU de Loja. Na atual edição da Sul-Americana, é artilheiro isolado, com cinco gols. Além disso, já marcou quase 100 vezes pela equipe alvirrubra, que agora tenta ficar tão famosa quanto sua xará de Quito.

Feitas a apresentações, confiram a camisa da LDU de Loja. Cuidado para não perder o distintivo no meio de tantos patrocínios…

Em seus 32 anos, a LDU de Loja soma um título da Série B e um da Série C do Equador

Camisa comprada no ótimo shopping Quicentro, em Quito. Lá tem uma tienda gigante da Marathon, onde dá pra achar uniformes de vários times do país. Essa da LDU de Loja, porém, não encontrei lá, mas em uma loja menor, que vendia camisas da Lotto.

A equipe alvirrubra manda seus jogos no Estadio Federativo Reina del Cisne, com capacidade para 14.935 torcedores. A cancha, inclusive, será usada para recepcionar o São Paulo

Na última temporada, a LDU de Loja por pouco não foi campeã do Equador. Chegou à última rodada precisando vencer, mas apenas empatou e viu o Barcelona de Guayaquil levar a taça

O maior feito da Liga Deportiva Universitaria de Loja é, com certeza, a vitória sobre o Nacional de Montevidéu em pleno estádio Centenário, pela 2ª fase da Copa Sul-Americana 2012. A equipe equatoriana chegou à capital do Uruguai praticamente eliminada, já que havia perdido o jogo de ida por 1 a 0 em plena Loja. Com muita garra, a equipe alvirrubra derrubou o gigante uruguaio e avançou às oitavas de final. Confira os gols desse jogaço aqui. E abre o olho, São Paulo!

E aí, gostou da camisa? Deixe seu comentário!

Boyacá Chicó

03/09/2012

Quem é o pior atacante do mundo? Cada pessoa terá uma resposta diferente. Alguns dirão que é aquele bagre que passou pelo seu time noutras épocas. Outros responderão que é o grosso que joga no maior rival. Muitos também se lembrarão de Negreiros, aquele que “marcou época” no Flamengo. Em 2009, porém, o pior atacante do mundo foi eleito por unanimidade. Nome e sobrenome? Jonas Gonçalves Oliveira, jogador com passagens por Guarani, Portuguesa, Santos, Grêmio e que agora está no Valencia, da Espanha – e na seleção brasileira.

Para quem não lembra, explico: em 11 de março 2009, o “Imortal” de Porto Alegre viajou à Colômbia para enfrentar um desconhecido time pela fase de grupos da Libertadores. A equipe era o Boyacá Chicó Fútbol Club, da cidade de Tunja, no corazón do país. Esse jovem time alviverde foi “vítima” de um dos gols mais perdidos da história. Aos 34min do segundo tempo, o atacante Jonas bateu, o goleiro deu rebote e o próprio camisa 9 aproveitou, driblando o arqueiro e ficando livre só pra rolar para as redes. Só que o inacreditável aconteceu: Jonas acertou a trave, e, mesmo com nova sobra sem goleiro, concluiu para fora (veja o lance). Depois dessa, ganhou as manchetes de jornais locais e internacionais como “o pior atacante do mundo” – menos mal que o Grêmio venceu por 1 a 0.

O fato é que esta é a grande marca do Boyacá Chicó, um time inexpressivo e que só é lembrado quando alguém menciona o terrível lance de Jonas (por sinal, está enganando bem no futebol europeu). Apesar dos pesares, considero esta uma das camisas mais diferentes da minha coleção, que algumas outras peças xadrez, como a do Lens (França). Sem mais delongas, confiram o belo uniforme dos ajedrezados de Tunja.

Em 10 anos de vida, o Boyacá Chicó conquistou três títulos colombianos: um da Série A, um da B e um da C

Camisa encontrada com muito suor em Bogotá, capital colombiana. Foi em uma loja da Walon, marca que fornece material esportivo para várias equipes da Colômbia e do Peru. Infelizmente, vou ficar devendo o endereço… Só lembro que o vendedor era muito gente boa e me deu uma flâmula do Once Caldas de graça!

O time soma duas participações na Libertadores. Em 2008, caiu na 1ª fase (conhecida como Pré-Libertadores). Já em 2009, foi eliminad no grupo 7, que tinha Grêmio, U de Chile e Aurora

O Boyacá manda os jogos no Estadio de La Independencia, ampliado para 20000 pessoas

O único título do Boyacá – que já teve uniformes rubro-negros e azuis antes de chegar ao verde atual – aconteceu em 2008, em final contra o tradicional América de Cali. Após empates por 1 a 1 na ida e na volta, a decisão em Tunja, casa boyacenses, foi para os pênaltis. Confira aqui o título do Chicó na voz marcante de Jorge Eliecer Torres, o mais famoso narrador colombiano.

E aí, gostou da camisa? Deixe seu comentário!

Bahia

15/08/2012

Lembram dos CDs dos hinos dos clubes brasileiros da PLACAR? Eu adorava! Para quem não conheceu, resumo: artistas famosos (e alguns nem tanto assim) faziam “releituras” dos hinos de grandes times do Brasil. Entre outras versões sensacionais, a minha favorita era o do América-RJ na voz de Tim Maia. Havia outras muito boas – na minha opinião, é claro – como o hino do Inter com Kleiton & Kledir, o do Botafogo com Zeca Pagodinho, o do Cruzeiro com Skank e o do Flamengo com Herbet Vianna e Gabril, o Pensador.

O hino que reunia a maior quantidade de feras, porém, era o do Esporte Clube Bahia. A equipe tricolor teve sua música cantada por ninguém mais ninguém menos do que Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia e Gal Costa, estas lendas da MPB (apesar de não ser fã, sei reconhecer a importância desse pessoal). Infelizmente, não achei no Youtube, mas dá para ouvir no player desta página aqui – vale a pena!

E é no embalo desses baianos porretas que coloco aqui no blog a bela camisa do Bahêa, como o pessoal de lá diz!

As estrelas acima do escudo representam a Taça Brasil 1959 e o Brasileirão 1988, as duas conquistas mais importantes da história do clube

Essa camisa foi presente dos meus pais, que lembraram da minha coleção enquanto davam umas voltas por Salvador. Acho esse modelo da Lotto muito bonito, principalmente pela gola azul e pelo patrocínio “casar” bem com a camisa. Uma pena só o VEDACIT amarelo nas mangas…

Dono de uma torcida fanática e numerosa, o Bahia também é um grande celeiro de bons jogadores. Da base tricolor, saíram nomes como Bobô, Beijoca e Charles. Uma das últimas revelações do time foi o lateral direito Daniel Alves

O “abrigo” do Bahia é a Fonte Nova, belo estádio que já foi palco de belos e trágicos momentos. Atualmente, a arena está sendo reconstruída para a Copa 2014. Quando foi inaugurada, terá capacidade para 60000 torcedores

Para finalizar, vale a pena recordar o espetacular título do Brasileirão 1988 conquistado pelo Bahêa do técnico Evaristo de Macedo. A final foi contra o bom Internacional de “Abelão” Braga, Taffarel, Luiz Carlos Winck e Nílson, artilheiro do torneio naquele ano. Na primeira partida, o clube gaúcho saiu na frente em plena Fonte Nova, mas o tricolor virou com dois tentos do mito Bobô – veja aqui, com direito a Fernando Vannucci. Quatro dias depois, bastou à equipe de Salvador segurar um 0 a 0 no Beira-Rio para sagrar-se campeã nacional pela segunda vez na história. Essa matéria mostra bem a conquista.

E aí, gostou da camisa? Deixe um comentário!

Emelec

17/04/2012

Hora de tirar a poeira desse blog, né? E para reativar o Que camisa é essa?, nada melhor do que o belo uniforme deste time equatoriano que ganhou as manchetes na Copa Libertadores 2012. Estou falando do Club Sport Emelec, que tem esse nome como resultado da sigla da Empresa Eléctrica del Ecuador – que já nem existe mais. A equipe da cidade de Guayaquil, no Equador, conseguiu uma façanha e tanto na última rodada do grupo 2: venceu o Olimpia-PAR, nos acréscimos, em pleno Defensores del Chaco, e eliminou tanto os paraguaios quanto o Flamengo da competição continental (veja mais no fim do post). Na volta ao país natal, os jogadores foram recebidos como verdadeiros heróis nacionais! Fica aqui registrada, então, a minha homenagem ao Emelec.

De muita tradição, o Emelec já foi 10 vezes campeão equatoriano. Em 2011, foi vice

Camisa comprada em uma loja Marathon (espécie de Centauro do Equador) em Guayaquil, no seguinte endereço: Av. 9 de Occtubre 604 y Escobedo. Para os interessados em comprarem camisas equatorianas, a rede tem a relação de todas as suas filiais no país.

"Los Eléctricos" possuem um belo museuem Guayaquil. É, inclusive, um dos principais pontos turísticos da cidade - já foi visitado até pelo presidente Rafael Correa, hincha fanático da equipe azul

O Emelec joga no estádio George Capwell, o primeiro particular do Equador. O nome é uma homenagem ao inglês que fundou o clube. Ele era superintendente da Empresa Eléctrica del Ecuador

E para quem já esqueceu, vale a pena rever o sensacional episódio do Olimpia 2 x 3 Emelec / Flamengo 3 x 0 Lanús. A equipe carioca estava se classificando para as oitavas de final, mas não contava com o gol equatoriano aos 47 minutos do segundo tempo no Defensores del Chaco. Veja aqui a visão brasileira sobre o fato, e aqui a transmissão da “Fox Sports” latino-americana, com muita emoção.

E aí, gostou da camisa? Deixe um comentário!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.